Os erros mais comuns na decoração e como evitá-los.

Decorar nem sempre é uma tarefa fácil e a falta de orientação adequada pode tornar este processo ainda mais complicado e custoso. Com tantas opções de móveis, itens decorativos, cores, materiais e texturas, as possibilidades de se perder em meio a este mundo de possibilidades são enormes.
Além disso, existem diversos detalhes implícitos nos processos e que são essenciais para que se obtenha um bom resultado. Detalhes como tamanhos ideais das cortinas e tapetes maioria das vezes passam despercebidos e por isto vemos erros tão comuns com tanta frequência.
Nós, como profissionais da área, além de todo estudo envolvido, vivenciamos diversas questões diariamente e entendemos que certos detalhes na decoração não são regras oficiais, mas podem fazer toda a diferença! Por isso, dentre tantos erros que deparamos por aí, listamos abaixo 5 deles e soluções simples que irão fazer com que seus ambientes fiquem muito mais harmônicos. Confira!

1 – Falta de planejamento
A solução para este erro seria “Contrate um profissional de qualidade, pois esta é justamente uma das funções principais dele”, mas, como sabemos que nem sempre isto é possível, vamos lá às dicas!
A primeira dica de planejamento é: não compre itens aleatórios. Acreditamos que o erro mais comum das pessoas é simplesmente comprar várias coisas e dispor ao longo da casa. As chances disto dar errado são imensas, além de ter o risco da casa perder totalmente a identidade. Planeje o que deseja comprar, o estilo que gosta e quer seguir e quanto deseja investir.
Intimamente ligado à isto temos uma outra questão que é: não contrate serviços de forma aleatória. Entenda que se você comprar papéis de parede, terá que pagar alguém para instala-los, por exemplo. A nossa sugestão é que você anote e orce todos os serviços necessários para que as coisas não saiam do controle e que você consiga fazer todo o planejado.
Outra dica extremamente importante é: faça a medição dos espaços e tenha estas anotações sempre com você. Leve em consideração os espações que as portas e janelas ocupam ao serem abertas, e que as pessoas precisam circular entre os espaços de maneira confortável. Não se esqueça de levar sempre uma trena quando for comprar os móveis ou qualquer outro objeto. Entenda que os itens precisam estar dispostos de forma harmônica e que tão errado quando comprar algo muito grande para o espaço é comprar algo muito pequeno com medo de não caber. Tente mobiliar os espaços de maneira que as pessoas possam transitar livremente, mas que também não precisem caminhar 15 metros para sentar.
Outra dica simples para um erro de planejamento que quase todo mundo comete é: Se você deseja comprar algum móvel pela internet, leia os tamanhos na descrição. Nunca se baseie nas fotos, mesmo que o item pareça estar na escala correta.

2 – Má escolha de cores
Cores é um tema muito extenso e que requer algum estudo e prática para que se tenha bom resultado. Horários do dia, tipos de iluminação, tipos de substratos, combinações, são alguns exemplos de fatores que influenciam em como as cores se comportam num ambiente, seja ele interno ou externo. Além disso, cores causam sensações diferentes para cada ambiente e devem ser escolhidas com cuidado, pois podem gerar tranquilidade, fome, irritabilidade, etc.
Vamos falar especificamente sobre cores com muitos mais detalhes num próximo tópico, mas a nossa dica básica para você não errar é: aposte tons neutros no macro, como tons de cinza, branco, cores cruas, e use cores apenas pontualmente, em objetos como almofadas, vasos e quadros. Assim, quando a decoração enjoar ou quiser dar uma renovada nela, troque essas peças de lugar e misture-as com peças novas.

3 – Escolher o tapete com tamanho errado
Não iremos falar de estilo, em que ambientes usar, quais os melhores materiais. Estes temas ficarão para uma próxima. Vamos falar de um erro que vemos muito! O tamanho.
Mas como saber qual tamanho ideal de tapete?
A função principal dos tapetes é setorizar os ambientes, então foque nisso sempre que precisar comprar um tapete novo. Existem algumas regras específicas, mas de modo geral, todos os móveis do ambiente devem estar sobre o tapete. Para sofás, o tapete deve avançar no mínimo de 15 a 20 cm sob o mesmo e também para as laterais dele.

4 – Escolher as cortinas do tamanho errado
Falar de cortinas e windows treatment (termo que usamos aqui nos EUA) é um assunto também muito extenso que envolve, acabamentos, materiais, funções, estilos, etc. Então hoje vamos focar nos erros que mais vemos por aí que são relacionados aos tamanhos das cortinas de tecido em geral.
A primeira dica para não errar é contratar uma empresa especializada em cortinas, pois eles irão fazer todas as medições.
Caso você prefira comprar os painéis de cortinas prontas, algo muito comum aqui nos EUA, fique atento aos seguintes detalhes:
As cortinas possuem diversas funções, como por exemplo dar acabamento e alongar o ambiente. Aqui nos EUA é muito comum vermos cortinas sendo usadas apenas como xales laterais, estáticos, com função apenas decorativa, mas particularmente não somos muito adeptos.
Com relação à altura das cortinas lembrem-se sempre que elas dever ser instaladas o mais alto possível, e que devem ir até o chão. Alguns clientes gostam até que arrastem e isto não é errado, apenas uma questão de gosto. Nunca, em hipótese alguma, deixem as cortinas voando. Como existem à venda medidas padrões de cortinas, e na maioria das vezes não estão de acordo com as medidas necessárias, o ideal é sempre comprar maior e fazer a barra. Caso não exista maior no mercado, faça um aplique na barra com outro tecido que tenha o mesmo caimento, de preferência.
Com relação ao comprimento, isto irá depender muito do vão a ser coberto e do tipo de tecido, mas basicamente a necessidade de tecido irá variar entre 2 vezes à 3 vezes o tamanho do vão. Então compre a quantidade de painéis necessários para que a cortina faça um franzido bonito e emende-os quando necessário.
As cortinas devem passar pelo menos 10cm em cada lateral do vão. Caso a porta ou janela ocupe quase a parede toda, o ideal é que a cortina seja de ponta a ponta.

5– Esquecer da iluminação
A iluminação é um item fundamental na decoração pois pode valorizar o ambiente ou simplesmente anula-lo. Alguns ambientes precisam de luzes mais potentes, outros merecem uma iluminação indireta e aconchegante. Por isso, a iluminação deve ser planejada para que se tire partido de todas as suas funcionalidades.
Fazer um projeto de iluminação é o melhor caminho para acertar esse item. Afinal, é necessário conhecimentos técnicos para calcular a quantidade de luz necessária para cada ambiente.

Então a nossa dica geral é: não se limite à luz direta! Luzes de apoio e decorativas como arandelas e abajures aquecem ambiente. Pontos de iluminação mais cênica, que dão destaque a objetos como quadros e enfeites, também podem transformar um cenário muitas vezes simples em algo muito interessante. Além disse o uso de dímer também pode ser uma ótima alternativa para tornar a iluminação mais eficiente e funcional.